Jean Ramos disputa neste sábado, 18, a terceira etapa do AMA Supercross 2018, nos Estados Unidos. O evento acontece em pista montada dentro do estádio do time de baseball Angels of Anaheim, na Califórnia.

Nas duas rodadas anteriores, Jean se classificou para as finais após corrida de repescagem. Neste sábado, 20, a intenção do brasileiro é alcançar a final pelo tempo de volta nos treinos.

Os 18 melhores pilotos dos treinos passam direto para as finais do evento, que desta vez será disputa em três corridas (Tríplice Coroa). O resultado da etapa será definido após a soma dos três resultados.

Confira as expectativas do atleta da Yamaha Geração Monster Energy.

Terceira etapa será diferente, com o sistema de três finais (Tríplice Coroa). Está confiante para classificar direto para as finais?
Jean Ramos:
 Vai ser uma etapa diferente. A estratégia é entrar bem focado nos treinos para fazer um dos 18 melhores tempos e não precisar ir para a repescagem. Meus tempos nos treinos das duas primeiras etapas foram muito próximos dos 18 melhores, com diferença de centésimos, então é preciso foco para cometer o mínimo de erros.

Qual a estratégia para as três finais? Dá para imaginar prós e contras deste formato?
Jean Ramos:
 Na prática, vamos ter uma bateria a mais de 10 minutos. Nas etapas regulares, temos a corrida classificatória (Heat) de 6 minutos e a final (Main Event) de 15 minutos. Agora teremos três Main Events, sendo um de 6 minutos, outro de 10 minutos e o último de 12 minutos. E a intensidade será maior. Acredito que o foco maior será nas duas primeiras corridas porque serão mais intensas, com menos tempo de recuperação. Provavelmente veremos muitos pilotos caindo, se batendo, disputando espaço.

Como foi a semana de treinos? Algum ajuste especial diferente do que você já fez para Anaheim 1 e Houston?
Jean Ramos:
 Voltamos da corrida no Texas – foram mais de 2.500 quilômetros rodados – e fui tentar treinar já na terça-feira, mas estava ainda cansado da viagem. Aproveitamos para treinar bastante técnica e velocidade na quinta-feira. Também testamos algumas peças novas e mexemos um pouco no acerto de suspensão. A intenção é melhorar nas costelas e não subir tanto nos saltos, que é o que tá faltando um pouco ainda.

O que você achou do desenho da pista de Anaheim 2?
Jean Ramos:
 Parece ser uma pista bem técnica, talvez mais ainda do que Houston, no Texas. A diferença é que o terreno deve ser mais compacto e não se deteriorar tanto, mas acho que será uma pista mais técnica do que as duas anteriores.

Como você tem percebido os brasileiros acompanhando sua jornada? Recebe mensagens de apoio?
Jean Ramos:
 Tem sido bastante positivo e motivacional. Depois das corridas sempre tem mensagens da família, da noiva, dos patrocinadores e de torcedores. É importante porque é recompensador, já que aqui às vezes a gente se sente sozinho, longe de todos. Algumas mensagens motivam bastante. Sinto as pessoas torcendo por mim e isso é muito bom. Agradeço a todos que têm dedicado um pouco de tempo para me desejar boa sorte. Vamos seguir trabalhando para representar o Brasil cada vez melhor.

 

A importância do AMA SX

O AMA Supercross é o campeonato americano e o campeonato mundial de supercross, esta modalidade derivada do motocross que se popularizou nos EUA a partir dos anos 1980.

As 17 rodadas do campeonato acontecem em pistas montadas dentro de estádios de baseball e futebol americano, com média de 40 mil espectadores em cada evento.

Os melhores pilotos do planeta sonham em ser campeões do AMA Supercross, e poucos brasileiros tiveram a capacidade e audácia de participar destas corridas.

Chegar a uma final do evento (Main Event) é uma vitória, já que muitos se inscrevem. Para alcançar esta façanha, é preciso ter índice de boas voltas nos treinos, depois se classificar nas “Heats” (corridas classificatórias) ou LCQ (repescagem).

Jean disputará as seis rodadas iniciais. Sua jornada se encerra no dia 10 de fevereiro.

Após esta experiência, retorna ao Brasil para disputar o Brasileiro de Motocross 2018 e defender o título do Arena Cross Brasil. Correr nos Estados Unidos também serve de preparação para a temporada brasileira.

Como acompanhar as corridas do AMA SX?

Devido à diferença de fuso, as corridas acontecem – pelo horário brasileiro – na virada da noite de sábado para domingo.

A programação varia a cada rodada, dependendo da região dos Estados Unidos em que o evento é realizado. Mas, geralmente as provas começam por volta da meia-noite aqui no Brasil (cerca de 19h nos EUA).

É possível comprar a transmissão oficial do evento, que passa para mais de 170 países. Se você tiver interesse, clique aqui.

Crédito: NXT